O primeiro som


Nascer dói todos os dias

Crescer dói


O primeiro choro

As primeiras palavras

O aprendizado


Nascer também não dói


Onde há lágrimas também há sorrisos

Onde existem monossílabas existirão frases com melodias



Rosalina Herai






quinta-feira, 2 de dezembro de 2010

O nascer da esperança





Era um vez a ilusão, que enfeitava
Era uma vez a mentira que matava

Era um vez um mundo cheio de pecados
o ódio o desamor de braços dados
brigavam com os melhores sentimentos

Era uma vez as sequelas
homens estavam deformados
uns na carne, outros no espírito

Era uma vez crianças
pobre e inocentes crianças
nasciam sorrindo para a vida
nasciam belas, outras deformadas

Criaram a lei do mais forte...as crianças não entendiam nada

Algumas cresceram bem cuidadas, outras judiadas

Então a crueldade do mundo lhes falou autorítaria

Me mostrem suas marcas!

Algumas mostravam seu coração ainda belos e nele jardins lindos

Outras cabisbaixas abriam o peito...lá corriam lágrimas

E o mundo lhes apontavam...-Imperfeitas!...Lutem corram!... mas antes as impossibilitavam 

Pobres crianças...estas eram nuas em seus trapos, peladas expondo feridas...sem nada

Corram!...como se as pernas não se movimentavam

Sorriem!...como se do coração caíam lágrimas

Era uma vez um Deus, tudo o que existe o chamava de Criador

Chamou por suas crianças

Onde estão os jardins belos que coloquei  em cada uma, todas são de essências iguais

Ah, a maldade...Víbora! destruístes  no coração a primícia da bondade no coração do homem

Venham crianças, deixem que os homens vejam as águas dos próprios olhos...suas fontes contaminadas

E vós crianças que voltem seus jardins...o coração seja enxugado

Corram, brinquem,  as algemas foram quebradas!


Rosalina Herai




Nenhum comentário: